Triatlo
Juraci Moreira

Juraci Data de Nascimento: 02/05/1979
Local: Curitiba - PR
Peso: 75kg
Altura: 1,87m
O Curitibano Juraci Moreira radicado em Campinas é um dos ícones do triathlon brasileiro. Representou o país na estréia da modalidade como esporte olímpico, nos Jogos de Sidney 2000 e acumulou ainda a participação nas olimpíadas de Atenas 2004 e Beijing 2008, onde foi o melhor latino-americano, na 26ª colocação. Com 03 participações consecutivas em olimpíadas, chegou a estar muito próximo da qualificação para oque seria seu quarto Jogos, em Londres 2012, porém uma séria de lesões prejudicou sua performance nas seletivas finais e assim, ficou de fora de mais uma olimpíada.

Juraci tem tatuados os símbolos da olimpíada de Sydney e Atenas no braço direito e de Beijing no esquerdo, demonstrando o quanto ter disputado essas edições dos Jogos Olimpícos significa para este atleta.

Sua estréia no triathlon foi em 1994,com 14 anos de idade, no Troféu Brasil de Triathlon, desde então vêm acumulando conquistas em todas as categorias que passou, incluindo a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, um dos grandes momentos de sua carreira.

Nos planos para o futuro, não descarta a tentativa de disputar a olimpíada do Rio 2016, mas em paralelo passa a disputar provas nas distâncias mais longas do Triathlon, como Ironman, onde pretende dar continuidade a sua carreira vitoriosa em provas olímpicas, agora trilhando o sucesso também em provas longas, que não são disputadas em olimpíadas, porém, que tem um grande destaque da imprensa mundial e público em geral pelo alto grau de dificuldade e desafio presente nos  triathlons de distâncias longas.

O Início:

Juraci Moreira nasceu em 02 de maio de 1979 na cidade de Curitiba, no Estado do Paraná - Brasil.  Incentivado pelo pai, que ia ao clube nadar, teve o seu primeiro contato com as piscinas, aos nove anos de idade. Entrou na equipe de natação da Sociedade Thalia de Curitiba e, após três anos de treinos recreativos, sua professora vendo seu progresso rápido, o aconselhou a procurar um clube mais tradicional em formar atletas para competição. Chegou então ao Clube do Golfinho e competiu até os 14 anos somente com a natação. Mas vendo alguns triatletas que já treinavam no clube, Juraci se interessou pelo triathlon, passando a somar mais dois esportes à sua rotina de treinos, o ciclismo e a corrida. Ainda aos 14 anos de idade e logo na sua estréia, Juraci obteve a quinta colocação em sua categoria, no Troféu Brasil de 1994. Completou a distância short triathlon (750m de natação, 20 km de ciclismo e 5 km de corrida) em 1 hora e cinco minutos, tempo que surpreendeu a todos e, principalmente, o seu treinador de natação, Homero Cachel, que imediatamente o fez ir de vez para o triathlon.

Até os 18 anos, Juraci competiu como atleta amador, conquistando os títulos nacionais em todas as categorias que passou. Ainda aos 18 anos competiu pela primeira vez como profissional, pouco tempo depois, aos 19, se tornou o mais novo campeão brasileiro profissional de triathlon de todos os tempos. 

De lá para cá, Jura, como é conhecido pelos amigos, se estabeleceu como um dos melhores triatletas do país, tendo representado o Brasil em três olimpíadas consecutivas e em cerca de 100 etapas do Circuito Mundial organizado pela ITU (International Triathlon Union). Números que o fazem ser um dos triatletas mais consistentes de todos os tempos em distância olímpica.

Principais resultados:

Medalha de bronze nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro 2007, HexaCampeão Brasileiro de triathlon (1998, 1999, 2001, 2002, 2004 e 2013), Campeão do Mundialito de Fast Triathlon 2008 e 2009, 3º lugar na Copa do Mundo do Japão 2002, Campeão dos Jogos Sul americanos da Argentina 2006, Atleta mais jovem a disputar o Triathlon nas Olimpíadas de Sidney 2000, atleta olímpico em Sidney 2000, Atenas 2004 e Beijing 2008, Campeão do Triathlon Internacional de Portugal, Guatemala, Argentina, México, Equador, Chile e Quênia.

Perguntas e repostas:

Qual foi a sua primeira vitória importante?
Na categoria profissional, foi em uma prova na USP, São Paulo, chamada Taça Pão de Açúcar/Itaú de Triathlon, tinha 18 anos e era uma prova tradicional com os melhores triatletas brasileiros e alguns estrangeiros inscritos na prova, por isso larguei sem muitas pretensões, pensava em terminar entre os 20 primeiros e ganhar experiência competindo com grandes atletas, mas acabei chegando na 2ª posição, vencendo atletas renomados, como Leandro Macedo, Oscar Galindez e outros, foi uma surpresa para todos, pois ninguém me conhecia, ganhei um prêmio de R$ 8.000,00 o que foi um enorme incentivo, depois dessa prova minha carreira mudou, arrumei grandes patrocinadores e entrei pro grupo dos favoritos em todas as provas que participava aqui no Brasil. Mesmo não tendo vencido, considerei uma grande vitória.

Momento mais marcante em sua carreira?
A conquista da medalha de bronze no Pan do Brasil em 2007 foi algo que nunca esquecerei, a praia de Copacabana estava lotada e vivi um dia maravilhoso como ídolo brasileiro. E também a participação nas três olimpíadas, Sidney, Atenas e Beijing, os Jogos Olímpicos são eventos únicos e inesquecíveis, independente do resultado da prova.

Qual é a sua rotina de treinamento?
Treino todos os dias cerca de 5 a 7 horas, divididos em sessões de natação (1 hora e meia), sessões de ciclismo (40 a 80km) e sessões de corrida (10 a 18km), além das três modalidades faço um preparo com musculação três vezes por semana, além do trabalho de relaxamento e prevenção como acupuntura, massagem e fisioterapia.

Qual o seu ponto forte numa competição de triathlon?
Minha corrida entre as três modalidades é meu ponto forte.

O que pode melhorar?
A parte da natação em provas do Circuito Mundial é a parte do triathlon que mais preciso aperfeiçoar.

Como surgiu a idéia de fazer uma tatuagem para cada Olimpíada?
Eu sempre quis fazer uma tatuagem, mais nunca achava um desenho bacana, queria algo que eu olhasse o resto da minha vida e sentisse orgulho, uma lembrança boa, então surgiu à idéia dos símbolos olímpicos, algo em que eu sempre vou lembrar com orgulho e nunca vou enjoar de mostrar no meu corpo. Tenho os símbolos de Sidney 2000 e Atenas 2004 no braço direito e no braço esquerdo o símbolo de Beijing 2008 e com um lugar já reservado para a quarta tatuagem, o símbolo de Londres 2012.

Qual o seu objetivo na competição?
Dar o melhor de mim, independente da posição que eu chegue, eu tenho que cruzar a linha de chegada e pensar que fiz o melhor possível naquele dia.

Qual o seu principal objetivo como atleta?
Hoje o meu principal objetivo é levar a carreira de maneira profissional, procurar ajudar os atletas e empresários a olharem para o esporte e para seus atletas com respeito e com visão empresarial no que diz respeito ao investimento através do patrocínio.

Quais seus principais objetivos na carreira?
Acredito ter cumprido meu objetivo em termos de olimpíada, disputei 03 jogos e me esforcei ao máximo para representar bem o Brasil em todas as minhas participações pela Seleção Brasileira. Agora tenho como objetivo principal dar sequência a minha carreira, disputando as provas longas, como Ironman e continuar buscando vitórias para o Brasil neste tipo de competição.

O que gosta de fazer quando não está treinando ou competindo?
Ficar em casa vendo filmes, sair pra jantar fora, ir ao cinema, coisas simples que me ajudam a relaxar e descansar.

Quais países já competiu?
Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Venezuela, Uruguai, Guatemala, México, Estados Unidos, Canadá, Portugal, Bélgica, Mônaco, França, Hungria, Israel, Alemanha, Itália, Suíça, Inglaterra, Espanha, Quênia, África do Sul, Austrália, Nova Zelândia, Japão, China, Ilhas Maurícius

Que país mais gostou de conhecer?
Austrália

Melhores lugares para treinar triathlon fora do Brasil?
Bolder-Colorado - USA
San Diego-CA - USA
Centro de Treinamento de Rio Maior – Portugal

De onde vem à energia para as provas e os treinamentos do triathlon, considerado um dos esportes que exigem mais resistência e esforço físico?
O principal para agüentar um triathlon é o treinamento constante, como venho treinando desde criança, consegui formar meu corpo e prepará-lo para agüentar as cargas de treinos e provas. Mas sou mortal e sempre passo por períodos mais duros em que me sinto mais cansado ou acabo me lesionando, nessas horas tento passar um filme dos melhores momentos que o esporte já me proporcionou, as vitórias que já obtive e principalmente lembro de todo apoio que recebo dos meus amigos, da minha família, de toda equipe de profissionais que trabalha comigo e dos meus patrocinadores que investem em minha carreira.

Como você se prepara para uma olimpíada? Que compostos são necessários nessa fase para alcançar o objetivo principal, que é a conquista do título e da medalha?
A preparação para uma olimpíada é longa, primeiro temos que nos classificar e essa classificação dura os 2 anos que antecedem os Jogos composta de várias provas internacionais. Os treinos para a prova olímpica não muda muito do que fazemos durante o período normal de provas, já que a distancia disputada é sempre a mesma, mais para uma olimpíada, um evento único tentamos fazer uma preparação perfeita visando à prova, essa preparação dura em torno de 4 meses antes da prova, com treinos específicos para que seja alcançado o pico de performance no dia da prova olímpica.

Como se manter motivado e focado nos objetivos traçados, mesmo em momentos difíceis e de baixa auto-estima, ou quando o resultado não era o esperado?
Momentos de baixa sempre vão existir, acho que fundamental é saber que nem sempre estaremos no topo , vencendo e sendo o melhor. Na minha carreira subi e desci várias montanhas e mais uma vez a experiência e o tempo fez com que eu saiba lidar muito bem com isso. Um atleta esta sujeito a lesões físicas que acabam me impedindo de treinar e competir, acho que essa é a pior parte pra mim, onde realmente fico mais triste e acabo um pouco abalado, mais ter uma equipe eficiente junto comigo vem fazendo com que eu encare tudo isso de uma maneira muito positiva, hoje sempre digo a jovens atletas, que as lesões fazem parte da vida de um atleta de alto rendimento, a diferença é que muitos se deixam abater e acabam parando ou tornando uma pequena lesão em algo definitivo e na verdade deve se saber tratar e procurar alternativas durante períodos lesionados. Um mal resultado numa prova importante, um problema familiar, uma perda de patrocínio, todos fatores que acabamos passando e com o tempo aprendemos enfrentar.

Qual a importância do planejamento para a conquista de resultados e superação de metas e desafios?
Planejamento correto e bem feito na carreira de um atleta é super importante, desde o inicio das atividades esportivas, o treinador planeja os treinamentos visando metas que serão provas importantes e períodos em que o atleta deve alcançar o ápice de sua forma física e sem um planejamento detalhado não se consegue chegar ao objetivo desejado, no caso de uma olimpíada, para chegarmos ate o dia da prova o planejamento acontece anos antes da prova, planejar toda a classificação olímpica, provas e pontuações que serão necessárias para a conquista da vaga olímpica, planejamento de treinos em ciclos visando estar no dia da prova na melhor forma física, planejamento do dia de um atleta aliando as atividades físicas (treinos) com alimentação, descanso, recuperação muscular (massagem, fisioterapia) e até horários específicos para o lazer, isso tudo faz com que alcancemos o sucesso no esporte através do planejamento.

Qual é sua concepção sobre sucesso, determinação e disciplina? No que esses três fatores influenciaram até hoje na sua carreira como atleta?
Para mim essas 3 palavras se interligam. Sucesso, na vida todos desejam alcançar em suas atividades profissionais e no esporte é o mesmo , um atleta é bem sucedido quando consegue a vitória e alcança seus objetivos naquela prova e para que possamos alcançar este sucesso o fundamental é ter determinação para enfrentar os desafios, treinos, adversidades que sempre teremos no caminho do sucesso, determinação essa aliada a muita disciplina, pois só com disciplina que hoje consigo passar de 5 a 7 horas em treinos diários.

Depois de ter participado de três Olimpíadas, dos Jogos Pan-americanos e de outros importantes torneios, qual é sua visão sobre competição?
A Competição dentro do esporte pra mim é a mesma competição que enfrentamos no trabalho e na vida, todos buscando um mesmo objetivo onde só um pode vencer só um será o melhor e com minha experiência em grandes competições hoje posso afirmar que nas maiores disputas o mais preparado em todos os aspectos vence, vencer uma olimpíada é para poucos, pois só 1 vencerá a cada 4 anos e a preparação, dedicação, comprometimento com o objetivo é que fará o vencedor. Eu sou um competidor que aprendeu a gostar de competir, tanto que levo isso para todos os aspectos da minha vida, sempre quero poder dar o melhor de mim, estar fazendo o melhor, estar disputando, isso é um prazer que aprendi a trabalhar a meu favor.

Qual foi seu principal sentimento ao representar o Brasil em três olimpíadas?
Estar numa olimpíada com o uniforme do Brasil para mim é algo maravilhoso, nesta hora vejo o quanto é bom ser brasileiro e como gosto de estar representando o povo brasileiro, eu sou um atleta que visto a camisa com orgulho, para mim na hora em que estou em uma prova representando o Brasil eu perco meu nome, meu nome nesta hora é "Brasil" e poder subir ao pódio com nossa bandeira é um premio que dinheiro nenhum do mundo pode pagar. Quando conquistei a medalha de bronze no Pan do Brasil em 2007 me perguntaram se eu venderia minha medalha, eu disse que nem por 1 milhão, na verdade a medalha em si não tem valor financeiro nenhum, mais ter conquistado representando o Brasil é algo que não tem preço, guardo esta medalha com orgulho e com muito carinho.

Que conselhos você daria para aqueles que desejam obter êxito em seus empreendimentos, sejam eles esportivos, profissionais ou pessoais?
Primeiro ter um sonho, acho superimportante sonhar e ir atrás deste sonho, visualizar o sucesso, acreditar que você pode chegar lá, isso é importante e trabalhar, nada vem de graça nesta vida, todas historias de sucesso e êxito vem recheado de historias de sacrifícios, ter determinação, empenho, dedicação, disciplina, amor por aquilo que se esta fazendo, desejo de vencer, são palavras chaves para o êxito.

Conte-nos sobre sua convocação para integrar o Exército Brasileiro?
O exército convocou grandes atletas do Brasil, muitos olímpicos, com o intuito de formar uma super equipe nas diversas modalidades em que serão disputados os Jogos Mundiais Militares Rio 2011 e ser um dos escolhidos e ter vencido as seletivas é mais uma vitória que o esporte me proporciona. Passei 4 semanas em estágio de instrução na escola de educação física do Exército e também na AMAN (Academia Militar das Agulhas Negras) no final de 2009 e saí formado Sargento Técnico Temporário. Poder representar o meu país sempre foi uma honra e um incentivo para a minha carreira, agora estar oficialmente ligado as Forças Armadas e usar o uniforme do exército brasileiro é uma grande alegria e responsabilidade. Vamos contar com toda a estrutura que o exército oferece.

Quem não pode faltar na sua torcida?
Minha Família, esposa, pessoas que me acompanham no dia-a-dia e sabem todo o esforço que faço para estar bem no dia da prova.

Quem é seu ídolo no esporte?
O ex triatleta Leandro Macedo, que participou comigo das olimpíadas de 2000 e 2004, além de ter vencido várias etapas e ter sido Campeão do Circuito Mundial. Exemplo de atleta dedicado.

O que considera como maior virtude em um atleta?
Dedicação e superação.

Como é sua relação com os fãs? Tem alguma história engraçada para contar?
Super tranqüila, o Triathlon ainda não é um esporte tão popular, então não existe o assédio comum dos esportes mais famosos, mas com certeza temos muitos admiradores que praticam nossa modalidade. Tento sempre atender a todos com muita atenção e respeito. Uma lembrança deste assédio foi numa prova em Ilhéus – BA, onde venci, lá praticamente toda a cidade estava assistindo e realmente neste dia me senti um verdadeiro pop star, dando muitos autógrafos e atendendo a solicitações de fotos. Tive de sair do local da chegada com ajuda dos seguranças do evento. Isso foi diferente, pois geralmente não acontece este assédio.

O que faz nas férias?
Gosto de dormir bastante, ir à praia e fazer coisas que no período de treino fica difícil fazer.

O que pretende fazer quando encerrar a carreira esportiva?
Continuar ligado ao esporte, através do marketing esportivo, representando atletas e buscando investimentos para eventos no triathlon, desenvolvendo projetos para que esse esporte cresça cada vez mais.

Se não fosse um atleta, o que seria?
Realmente não sei, não me vejo em outra profissão, mais provavelmente estaria ligado ao ramo de Direito, já que meu pai trabalha com isso. Até iniciei a faculdade, mas tranquei no segundo ano, para me dedicar totalmente a minha carreira de atleta.

Família?
Sou casado com a Isabella desde 2009 e temos 01 filha, a Sofia, que nasceu em 2013 e são minhas maiores fontes de inspiração e força. Tenho quatro irmãos no total, dois homens, uma mulher e eu, o caçula da família. Meu irmão mais velho trabalha na empresa da família, uma livraria jurídica, juntamente com meus pais, meu irmão do meio é advogado e exerce a profissão e minha irmã trabalha em uma construtora.

Tem apelido?
Alguns me chamam de Negão, Júnior, Jura, depende do grupo.

Livros prediletos?
-Transformando suor em Ouro – Bernardinho
-Cartas a um jovem atleta - Bernardinho
-Tao do Esporte
-Semente da Vitória – Nuno Cobra
-Lance Armstrong - Is not about de bike My journey back to life
-Livros motivacionais e biografias de grandes pessoas e empresas.

Instrumento Musical?
Violão e percussão.

Passa tempo preferido?
Ficar com minha esposa em casa assistindo um bom filme e descansando.

Time de futebol do coração?
Atlético Paranaense.

Que mensagem gostaria de deixar para os fãs?
Que ao longo da minha carreira sempre busquei representar o brasil da melhor maneira possível em disputas pelo Circuito Mundial de Triathlon, Jogos Sulamericanos, Panamericanos e Olímpicos e que mesmo agora, com meu foco mudando para as provas mais longas, meu sentimento continua o mesmo, buscar a vitória. Amo representar o povo brasileiro e vestir o uniforme com a nossa bandeira, então tenham certeza do meu comprometimento de fazer sempre o melhor.

  • Integrante da Equipe Olímpica de Triathlon em Sidney 2000, Atenas 2004 e Beijing 2008.
  • Triatleta mais jovem nas Olimpíadas de Sidney 2000.
  • Medalha de bronze nos Jogos Pan Americanos 2007 Rio de Janeiro.
  • Hexacampeão Brasileiro Profissional de Triathlon 1998, 1999, 2001, 2002, 2004, 2013.
  • Pentacampeão do Sesc Triathlon de Caiobá 1999, 2000, 2004, 2006, 2008.
  • Medalha de Ouro nos Jogos Sul Americanos 2006.
  • Medalha de Ouro no Campeonato Iberoamericano 2010.
  • Campeão do Mundialito de Fast Triathlon 2008 e 2009.
  • Campeão do Circuito Nacional Sesc 2006.
  • Campeão do Troféu Brasil de Triathlon 2005.
  • 1º Lugar no Triathlon Internacional do México 1999.
  • 1º Lugar no Circuito Nacional Sesc Brasília 2005.
  • 1º Lugar no Triathlon Internacional do Chile 2008.
  • 1º Lugar no Triathlon Internacional do Kenya 2010.
  • 1º Lugar no Triathlon Internacional da Guatemala 2002.
  • 1º Lugar no meio Ironman de Caiobá 2005.
  • 1º Lugar no meio Ironman de Pirassununga 2004.
  • 2º Lugar no Triathlon Internacional do Uruguai 2002.
  • 2º Lugar no Triathlon Internacional de Portugal 2004.
  • Medalha de Prata nos Jogos Sul Americano 2002.
  • 3º Lugar na Copa do Mundo do Japão 2002.
  • 5º Lugar no Triathlon Internacional da Itália 2004.
  • 1º Lugar no Triathlon Internacional do Chile 2013.
  • 6º Lugar na Copa do Mundo da Colômbia 2011.

Calendário

Em Breve

Conteúdo, Objetividade, Dinamismo

FMA NOTÍCIAS - FÁBIO MARADEI (MTB 22.214)

TELEFONES: (13) 99146.0091 - (13) 98128.9529 (13) 7813.4524 – ID 113*9229
E-MAIL: contato@fmanoticias.com.br
SITE: www.fmanoticias.com.br
*Fotos em alta resolução e pedidos especiais podem ser feitos diretamente através da assessoria de imprensa

Fotos disponíveis para uso da imprensa.

Desenvolvido por Solo Propaganda Novac Novac